<$BlogRSDUrl$>

sexta-feira, novembro 19, 2004

O meu veneno

Ainda assim deixo aqui uma dedicácia, lembrando Jorge de Sena:

fogo fátuo

acendem estertores iluminados
na podridão dos ossos pulverinos
arqueando luzes cheias de veneno
em vozes mansas tidas de meninos.
a chama ondeia falsa e insinua;
crepita a verve dúbia do idílico.
sem alimento o fogo não aquece,
ouve-se longe o eco a voz do tísico.
enquanto a fátua chama lá fenece
o lume brando vivo mais aquece.

josé félix




| |

This page is powered by Blogger. Isn't yours?

AddMe.com, Search Engine Optimization and Submission Weblog Commenting and Trackback by HaloScan.com






br>


referer referrer referers referrers http_referer