<$BlogRSDUrl$>

quinta-feira, maio 26, 2005


O meu veneno

Leituras

Foi dito que em 2005 se lê mais do que em 2004. Foi constatado pela Associação Portuguesa de Editores e Livreiros, A.P.E.L., e até a ministra da Cultura tem uma visão optimista sobre os hábitos de leitura dos portugueses. Um estudo concluiu que as mulheres lêem mais do que os homens.
Até aqui, tudo bem. O que o estudo não revela é a qualidade da leitura dos inquiridos. E, por aquilo que me é dado perceber, e concluir, é que a leitura dos portugueses, em geral, é muito má.
Desde os primeiros dias de escola até à universidade, os alunos lêem, principalmente, e mal, os livros escolares e técnicos, poucos indo para além dos livros estabelecidos para estudo. O nível com que os futuros educadores acabam a faculdade e as pós-graduações em Educação, reflecte-se, também, na fraca qualidade do ensino. Há, evidentemente, outros factores que fazem com que a educação académica tenha um nível baixo, a denunciar a alta taxa de abandono escolar, sendo das mais latas da União Europeia.

Não é, seguramente, cortando autores como Gil Vicente, Luís de Camões que se altera o estado de coisas. Em França, estuda-se Victor Hugo no 7º ano de escolaridade. E em Portugal?

a erva daninha

a erva daninha. danosa e perfeita na ocupação do espaço.
solitária e precisa na avidez das flores.
o vento embala toda a palavra acrescentada, as plantas
grávidas, toda a erva, toda a substância permitida.
a erva que bebe da sua própria flor no suicídio das estações.
sozinha, a erva daninha de si, sem espelhos multiplicadores,
contempla a obra e torna visível uma papoila rubra
na angústia do crepúsculo.

Félix, José Quatro Poetas da Net, Edições Sete Sílabas, Lisboa, 2002



| |

This page is powered by Blogger. Isn't yours?

AddMe.com, Search Engine Optimization and Submission Weblog Commenting and Trackback by HaloScan.com






br>


referer referrer referers referrers http_referer