<$BlogRSDUrl$>

quarta-feira, agosto 17, 2005

O meu veneno

O voto é uma espada de Dâmocles: como a espada, também o voto está preso pela crina de um cavalo sobre as nossas cabeças. O voto é o manjar que os partidos políticos servem ao povo, a fugaz felicidade da atitude de votar, seguido da exaltação da propaganda, não sabendo o povo quão perigosa é aquela refeição «suculenta».

Pedro Machado, no Dicionário Etimológico de Língua Portuguesa diz: voto, do lat. votu-, «voto, promessa feita aos deuses; objectivo votivo, oferenda; desejo». Na Crónica Galega inédita ( séc. XIV) alternam voto-vodo: «en como forõ a S. os vodos... fezo voto et isto he promissom detrar en orden... derõ os vodos... soltoulle o uoto».


| |

This page is powered by Blogger. Isn't yours?

AddMe.com, Search Engine Optimization and Submission Weblog Commenting and Trackback by HaloScan.com






br>


referer referrer referers referrers http_referer