<$BlogRSDUrl$>

terça-feira, janeiro 03, 2006

sugai sobre o muro o
olhar nu na incisiva
carne que a lucidez
guarda

José Gil


na lucidez dos cegos compreendo
a alvura das manhãs contemplativas
no grito dos olhares que semeiam
toda a ternura da palavra ouvida.

e numa cor submersa, sob a linha
da mais restrita compreensão, está
o muro transponível que o olhar,
nudez do corpo aquático, credível,

cinzela a forma na matriz do dia;
aguarda para sempre a aventura
do escopro, do cinzel, do maço duro.

há tanta claridade nos meus olhos
de como cegos vêem a incisiva
beleza de mulher que esconde o corpo.

é desta luz que suga na cegueira
que permanece nu o olhar do cego.

josé félix

| |

This page is powered by Blogger. Isn't yours?

AddMe.com, Search Engine Optimization and Submission Weblog Commenting and Trackback by HaloScan.com






br>


referer referrer referers referrers http_referer