<$BlogRSDUrl$>

domingo, fevereiro 05, 2006

O meu veneno

Um país onde os bandidos se queixam do procurador público de serem presos para averiguações, por algumas horas ou preventivamente, às mais altas instâncias do Tribunal e do Estado, e lhes dão ouvidos, está, certamente, doente.
Vai sendo normal ser bandido. Os outros, envergonhados, choram de raiva sobre os joelhos.



razão de existir ou a existência como uma falácia


se o céu é o limite
da linha imaginária da consciência
e se a palavra em riste
tem o carácter do fio e da urgência

da faca rubra, o chiste
dessedenta, cativa a vã ciência,
a boca que resiste
para se manter viva a permanência

de uma garganta forte
mesmo que seja muda e degolada
p'la força do garrote.

porque as raízes da árvore caída
têm a seiva, a sorte
de até na própria morte manter vida;

morrer vivendo, mantendo tal porte,
é renascer do pó a própria morte.

josé félix in o outro lado da fala

| |

This page is powered by Blogger. Isn't yours?

AddMe.com, Search Engine Optimization and Submission Weblog Commenting and Trackback by HaloScan.com






br>


referer referrer referers referrers http_referer