<$BlogRSDUrl$>

sexta-feira, outubro 13, 2006

O meu veneno

A bela e o monstro

Na alínea a) do ponto nº2, Artº 64, (Saúde) da Constituição da República Portuguesa diz o seguinte: "Através de um serviço nacional de saúde universal e geral e, tendo em conta as condições económicas e sociais dos cidadãos, tendencialmente gratuito;"

O que se passa é precisamente o contrário. Com falácias, metonímias, metáforas e outras figuras de estilo, este ministro da saúde, e os que o antecederam, cria taxas e mais taxas aumentando a desigualdade social. Um cidadão que aufira um vencimento de €380,00 paga o mesmo que um cidadão auferindo um vencimento de €3.000,00. Tem sido assim com todas as taxas e sobretaxas, sendo elas moderadoras ou não.

Também na alínea c) do ponto 3, Artº 64 (Saúde) da Constituição da República Portuguesa diz: "Orientar a sua acção para a socialização dos custos dos cuidados médicos e medicamentosos"

O que se passa? A maioria da população portuguesa é ignorante, não lê, portanto desconhece os direitos fundamentais consignados na Lei da República. O que sucede? "Quero, posso e mando" do Poder colocado na cátedra pelo povo que conferiu o direito a aquele para o devorar.

7.

vou caminhando com serenidade.

eu sei que este caminho
me conduz

ao mar tranquilo.

as folhas do salgueiro caem como flocos de neve.


josé félix vagabundagem (folheando os dias)
um tributo ao poeta chinês do século VII Han-Shan



| |

This page is powered by Blogger. Isn't yours?

AddMe.com, Search Engine Optimization and Submission Weblog Commenting and Trackback by HaloScan.com






br>


referer referrer referers referrers http_referer